Viver é reviver, hoje eu sei...

Pouco falo aqui sobre meu avô, né?!

Bom, a minha avó é aquela pessoa que ninguém sente raiva, é a mulher guerreira, é a filha, mãe e avó que todos pediriam à Deus.

O meu avô é O cara! Não, ele nunca foi um cara dócil, carinhoso ou de falar que ama. Ele demonstrava por atitudes! SEMPRE!

Meu avô foi o cara que me ensinou a andar de bicicleta, me ensinou a ler com 2 pra 3 anos. Foi o cara que apoiou minha mãe quando ela deu à luz a um menino com probleminhas nos pés e que hoje é um homenzarrão mestrando em História Política (meu irmão).

Meu avô foi o cara que me fez ter esse amor incomensurável por animais. Foi o cara que me deu a primeira coleção de livros chamada "Os Bichos". Uma coleção escrita em português de Portugal, com capa de couro. Me levava pra escola e buscava TODOS os santos dias.

É o cara que me ensinou que falar palavrão é crime (pena que não aprendi e só piorei!). Me deixou de castigo por diversas vezes de cara pra parede em um quarto e meu irmão no outro, porque vocês sabem, né?! Irmão não serve pra nada, quando pequeno. Só pra implicar e bater!

Enfim, ele é responsável pela minha carreira, responsável pela minha educação junto com a minha avó. Foi meu pai, quando meu pai saiu de casa.

Hoje meu avô é um cara com "demência não especificada", "absolutamente incapaz de exercer pessoalmente os atos da vida civil", e por isso uma luta de 3 anos na justiça o declarou "interditado". Meu avô não anda, não come, não mija e não toma banho sozinho. Não fala. Só faz carinho! Resultado de uma demência senil detectada há 18 anos. Não ter que sair de casa para receber pagamentos, ou assinar qualquer documento é uma vitória pra todos nós!

Para ele, uma vitória!
Para nós, a confirmação de uma tristeza absoluta!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Fique à vontade e deixe seu comentário ;-)